0

Check-up Premium: lançamento é marco no mercado de exames de sanidade para aves

A inovação é prioridade em todos os setores do São Camilo Biotecnologia, sendo assim, para agrupar mais de 10 anos de estudos visando proporcionar aos criadores o que há de melhor para a prevenção de doenças em aves, o laboratório lança no mercado, especificamente no Campeonato Brasileiro de Ornitologia 2017, que ocorre entre os dias 6 e 16 de julho, o maior painel disponível no planeta: o Check-up Premium. Vale ressaltar que o evento é organizado pela Federação Brasileira de Ornitologia – a FOB – e ocorre todos os anos na cidade de Itatiba, interior de São Paulo. A magnitude deste exame permite essa classificação, já que serão pesquisados 33 patógenos, tudo isso em coleta única, o que propicia verdadeiro escaneamento quando o assunto é saúde do plantel.

Outro grande diferencial é que este exame possui três grandes frentes: a que é direcionada aos psitacídeos, aves exóticas como as araras, papagaios, cacatuas, jandaias, pionites, eclectus, forpus, agapornis, calopsitas, periquitos, roselas, dentre outros. Aos passeriformes, que são popularmente chamados de passarinhos e, quanto a aspectos físicos, possuem três dedos para a frente e um para trás e, de forma geral, ostentam bicos retos ou quase retos.  Existem mais de seis mil espécies, o que lhes dá o título de maior grupo de aves. E, por fim, aos canários que é um passeriforme de pequeno porte e pertence à família Fringillidae e tem sua origem nas Ilhas Canárias que ficam na costa africana.

Desse modo, a importância dessa divisão se evidencia quando se analisa a individualidade de cada uma dessas famílias, ou seja, os exames propostos serão específicos para cada uma das frentes, respeitando, sobretudo, a individualidade de cada uma. Dentro desses aspectos serão analisadas infecções virais, bacterianas, fúngicas e as causadas por protozoários.

Importância da Prevenção

Estudos afirmam que mais de 75% das doenças em aves são assintomáticas, ou seja, estas não apresentam sintomas facilmente verificados, entretanto, portam patógenos. Essa situação é bastante preocupante, pois afeta o diagnóstico precoce, bem como o tratamento efetivo da doença.

A prevenção surge como aliada nestes casos, já que previne a proliferação de doenças, identifica especificamente o patógeno direcionando tratamentos mais precisos e eficazes, evita mortes de filhotes e aves adultas, melhora os índices de reprodução e produtividade no plantel, reduz gastos e valoriza as aves e o criadouro.

Coleta para o Check Up Premium

É bastante simples iniciar o processo de coleta: ao entardecer, deve-se forrar o fundo da gaiola com papel alumínio ou plástico filme, na manhã seguinte, as fezes depositadas pela ave serão colhidas, após o procedimento deve-se lacrar o pote com fita adesiva e fazer sua identificação. Se o exame for para uma ave ou casal, deve-se repetir o processo por três dias e o pote com a coleta deve ser mantido na geladeira até o dia do envio. Se o exame for direcionado a mais aves, a coleta poderá ser realizada uma única vez.

Finalizados os processos o pote com as fezes deve ser colocado em uma caixa e enviado para o São Camilo Biotecnologia juntamente com o Formulário de Solicitação de Exames de Saúde devidamente preenchido. Quanto ao pagamento há muitas facilidades: pode ser realizado por meio do site do laboratório, especificamente, na Loja Virtual via cartão de crédito, transferência bancária ou depósito. Se a opção feita for transferência ou depósito, o comprovante deverá ser encaminhado juntamente com a amostra. Chegando ao laboratório o resultado estará disponível em até seis dias úteis. Se ainda restou dúvida quanto ao procedimento saiba mais no vídeo AQUI.

Confira também nossa loja através do link http://bit.ly/checkuppremium

Além dos canais já mencionados, mantenha contato com o São Camilo Biotecnologia por meio da Fanpage, do Blog, bem como, pelo telefone (44) 3029-9660 e pelos e-mails atendimento@scbiotec.com.br e comercial@scbiotec.com.br .

Gostou? Compartilhe com os amigos !!
0

Painéis respiratórios pesquisam bactérias que mais afetam plantéis no inverno

A importância dos Painéis Respiratórios:

A chegada da estação mais fria do ano traz consigo as benesses de um clima aconchegante para os seres humanos, entretanto, os cuidados com a saúde devem ser redobrados, a atenção a doenças oportunistas deve estar sempre presente no dia a dia daqueles que priorizam qualidade de vida. E qual a relação disso tudo com as aves? Há grande relação e ela reside quando cogita-se preservar a boa saúde da ave, bem como a diminuição da incidência de doenças. Esses seres tão fortes e ao mesmo tempo tão delicados merecem ainda mais atenção neste intervalo de tempo, que está entre 21 de junho e 22 de setembro, por estarem em um momento de maior fragilidade e compreender o período de acasalamento e início da postura de ovos de muitas espécies.

Outro ponto importante para os criadores de plantéis, é que sempre neste período há ocorrência de campeonatos, em especial, o Campeonato Brasileiro – local de grande prestígio para todos os criadores pela presença de aves de todo o país. Tal fato, quando se fala em saúde de aves, deve preocupar criadores pelas doenças em aves serem em sua maioria assintomáticas, ou seja, antes, durante e depois da competição deve-se fazer o manejo correto para que determinadas doenças não sejam levadas aos plantéis acometendo todas as aves.

Além desse importante manejo, deve-se investir em prevenção e pensando nisso o São Camilo Biotecnologia deu início há três anos aos Painéis Respiratórios, possibilitando ao criador verificar, por meio de exames, se suas aves são portadoras dos patógenos mais incidentes no inverno.

A viabilidade desses exames se dá na divisão funcional em quatro tipos de painéis. São eles: o básico – que tem intenção de abranger dois tipos de bactérias – a Chlamydophila psittaci e a Mycoplasma sp. Já o painel denominado aviário tem como propósito verificar a presença de Aspergillus fumigatus, Chlamydophila psittaci e Pasteurella multocida. O terceiro intenciona por pesquisar Aspergillus fumigatus, Chlamydophila psittaci, Pasteurella multocida e Mycoplasma sp e é conhecido por Painel Respiratório Plus. O mais completo que abrange todas as doenças mais incidentes chama-se Ampliado, compreendendo as bactérias: Aspergillus fumigatus, Chlamydophila psittaci, Pasteurella multocida, Mycoplasma sp e Ornitobacterium rhinotracheale.

Para saber mais e comprar o exame é bastante simples: deve-se entrar na loja virtual do São Camilo (AQUI), fazer todo o procedimento de compra, após a aprovação, fazer a coleta das fezes – o modo correto de fazer a coleta pode ser verificado no vídeo AQUI, é muito importante fazer todos esses processos corretamente para um resultado fidedigno. Ao chegar ao laboratório o prazo pedido é de apenas três dias úteis. Dessa forma, os criadores poderão certificar-se da ausência dos patógenos, bem como, se houver a ocorrência de doenças, avaliar junto ao médico veterinário, a melhor forma para tratamento de suas aves.

O São Camilo Biotecnologia está disposição dos criadores para todos e quaisquer questionamentos sobre os Painéis Respiratórios. Lembrando que o laboratório atende o Brasil todo e para informações deve-se acessar o link http://bit.ly/paineisrespiratorios ou ligar para (44) 3029-9660.

Gostou? Compartilhe com os amigos !!
0

Coccidiose: doença parasitária que infecta silenciosamente criações inteiras

Seguindo as postagens semanais sobre as doenças que compõem o Check Preventivo oferecido pelo São Camilo Biotecnologia, hoje o post será sobre a Coccidiose – principal infecção parasitária presente na criação de aves de estimação. A doença é causada por protozoários intracelulares dos gêneros Isospora e Eimeria, entretanto, um fator bastante preocupante é que muitas espécies são causadoras da doença e responsáveis por quadros clínicos extremamente variáveis. Essas variações vão desde infecções subclínicas (saiba mais sobre neste post) onde a doença é imperceptível ou, até mesmo, surtos com alta mortalidade.

Esse tipo de infecção possui proporção mundial, no nosso país já foi relatada infecção em praticamente todas as espécies de aves de estimação, bem como, galinhas domésticas. Sendo assim, essa informação reafirma que pode ocorrer simultaneamente a infecção em mais de uma espécie de um mesmo criadouro.

Essa doença quando acomete uma ave produz estruturas reprodutivas chamadas de oocistos, que são eliminados nas fezes, na forma não infectante, ou seja, estão inativos. Então, no meio ambiente, sob condições adequadas de temperatura e umidade se iniciará o processo para a conversão da forma inativa para a infectante. Um agravante nesta situação é que o protozoário é absurdamente resistente aos fatores ambientais, podendo permanecer por mais de seis meses no ambiente à espera de um hospedeiro para infectar.

Infecção

A infecção ocorre por meio da ingestão de alimentos, água e fezes contaminadas com esses oocistos ativos, que são a forma infectante. Além disso, poeira das fezes, comedouros, bebedouros, roupas, calçados e até mesmo moscas podem contribuir para a disseminação da infecção. Alguns fatores contribuem para a alta transmissão de Coccidiose dentro de um criadouro, entre eles estão:  a alta umidade das fezes e altas temperaturas, situação que favorece a conversão dos oocistos da forma inativa para a ativa.

Sintomas

A identificação da doença torna-se difícil pelos sintomas seres muito variados e até inexistentes. Há variação destes sintomas de acordo com a idade da ave, espécie do coccídeo (causador da doença) e região intestinal da infecção. De forma geral, os sintomas incluem: emagrecimento agudo (peito seco); mudança na pigmentação da pele da canela; penas arrepiadas, depressão, fezes aquosas, mucosas ou hemorrágicas; e manifestação de dor abdominal (ocorrida por conta da respiração acelerada). Como os sintomas são variados, há possibilidade de os pássaros serem acometidos por doenças secundárias.

Diagnóstico

Quanto ao diagnóstico, existem muitas facilidades inclusive oferecidas pelo São Camilo Biotecnologia. Normalmente basta um exame parasitológico de fezes para determinar o agente causador e iniciar o tratamento. Entretanto, alguns casos necessitam de exames um tanto mais sofisticado como é o caso da PCR. Uma recomendação importante é que se faça esse tipo de exame antes da reprodução, antes da troca de penas, toda vez que as aves voltam de campeonatos ou exposições, bem como, aquelas que são novas no criadouro, devem, portanto, ficar de quarentena até que se obtenha o resultado dos exames.

Tratamento

Após identificar o patógeno da doença, bem como, verificar qual porção do intestino está infectada é imprescindível a contratação de um Médico Veterinário, para que ele possa prescrever e tratar corretamente das aves, não havendo desperdício de fármacos como o antibiótico.

Gostou das informações? Continue acompanhando as postagens do Blog por meio da fanpage do laboratório e saiba mais no próximo texto. Se sua ave está se apresentando frágil ou com sintomas de alguma doença não hesite em entrar em contato com o São Camilo Biotecnologia, que atende o Brasil todo. Para mais informações sobre a realização de exames acesse o link http://bit.ly/checkuppreventivo, entre também em contato pelo telefone (44) 3029-9660.

Gostou? Compartilhe com os amigos !!
0

Aspergilose, uma das doenças de maior incidência no inverno

A Aspergilose é uma doença bastante comum, e pode provocar sérios danos ao pássaro quando não identificada rapidamente, afeta principalmente o trato respiratório e produz lesões nodulares nos pulmões.

A doença é causada por fungos do gênero Aspegillus, sendo o agente principal o Aspergillus Fumigatus. São encontrados facilmente no solo, na cama, na matéria vegetal em decomposição e no alimento. A Aspergilose foi diagnosticada em todas as aves domésticas, aves de zoológico e em muitas aves selvagens. É provável que o fungo penetre pela casca do ovo e infecte o embrião ou a ave recém-nascida.

Sua infecção começa pela inalação dos esporos, normalmente o pássaro tolera um certo número de esporos, mas uma infestação maior ou queda no sistema imune da ave provoca a doença.

Os sinais mais comuns em casos de Aspergilose, principalmente em aves jovens são: dispnéia (respiração rápida, curta e com dificuldade), sonolência e anorexia. As que apresentam sinais clínicos enfraquecem, perdem peso e morrem em poucos dias. A Aspergilose cerebral produz sintomas nervosos de incoordenação e torcicolo. As aves com lesões oculares podem apresentar conjuntivite, cegueira e geralmente morrem.

O melhor a fazer para evitá-la é manter uma rigorosa higiene nas gaiolas e criadouros, além da realização de exames periódicos com objetivo de prevenção de doenças. Conheça mais sobre nosso Check-up Preventivo através do link http://bit.ly/checkuppreventivo

O que achou do texto? Compartilhe com a gente!

Gostou? Compartilhe com os amigos !!
0

Aves de estimação não estão livres da doença Pulorose

Como parte da série semanal publicada aqui no Blog sobre as doenças compreendidas no Check Up Preventivo, temos como assunto hoje a Pulorose. Descrita pela primeira vez em 1899 pelo pesquisador Leo F. Rettger, acreditava-se ser uma doença fatal, entretanto, posteriormente, teve seu nome marcado apenas por diarreia. Ao longo do século XX, a doença se alastrou por diversos países provocando a morte de 100% das aves infectadas.

Antes de continuar a leitura sobre a doença já mencionada, veja o apanhado sobre a Salmonelose AQUI, lá você poderá constatar que essas bactérias podem infectar as aves e causar três enfermidades distintas: o Tifo Aviário causado pela Salmonela Gallinarum; o Paratifo causado pela Salmonella sp.; e por último, nosso assunto de hoje, a Pulorose cujo agente é a Salmonella Pullorum.

Essa doença acomete especificamente as aves jovens, entre o 14º e o 21º dia do nascimento, situação que provoca elevada mortalidade no plantel. As aves adultas não estão isentas dessa doença, entretanto, o aparecimento da mesma é bastante raro. A Pulorose tem como hospedeiras naturais as galinhas, mas, de acordo com a literatura, infecta também perus, faisões, aves silvestres, pardais, periquitos, pombos, canários, avestruzes e pavões. Essa afirmação demonstra que aves de estimação não estão livres dessa infecção.

Transmissão

A forma de transmissão que possui maior recorrência é a transovariana, ou seja, transmissão vertical. Para entender melhor: a bactéria infecta o oviduto da fêmea e se dissemina através dos ovos durante meses, a situação se torna ainda mais preocupante, pois a morte pode ocorrer logo após a eclosão do ovo quando a ave está contaminada. A transmissão também pode ocorrer pelas fezes, alimentos, água e ambientes contaminados, bem como, através de pessoas, animais de estimação, roedores e insetos que tenham acesso ao criadouro.

Sintomas

Dentre eles estão: sonolência, apatia, encorujamento com penas eriçadas, fraqueza e diarreia com coloração branca. Infelizmente, dependendo da relação entre o estado imune das aves e a infecção por esse tipo de Salmonella, pode ocorrer morte súbita sem que haja aparecimento de nenhum dos sintomas citados acima. Quando incide em aves adultas, os sinais não são aparentes, sendo a manifestação da infecção demonstrada pela queda na produção de ovos, redução de fertilidade, em alguns casos pode causar depressão, perda de apetite, diarreia e desidratação.

Diagnóstico e Prevenção

A detecção molecular dessas bactérias, por meio de DNA, ou seja, utilizando a Reação em Cadeia da Polimerase, a PCR, é altamente sensível e específica, sendo também facilitada quando os assuntos são manuseio e meios de transporte.

Quanto ao tratamento este pode diminuir a mortalidade das aves, mas estas continuarão a ser portadoras dos agentes. O controle e a profilaxia da Pulorose são atitudes amplamente recomendadas, sendo que esse tipo de bactéria pode durar muito tempo no ambiente, mas felizmente são sensíveis a desinfetantes, sendo uma boa limpeza, desinfecção periódica, controle de insetos e roedores, bem como, monitoramento de pássaros que adentram ao plantel, ações que podem evitar a proliferação da doença.

Saiba mais sobre o Check Up Preventivo AQUI. Outras informações sobre os exames nas redes sociais do São Camilo ou através do link http://bit.ly/checkuppreventivo, entre também em contato pelo telefone (44) 3029-9660.

Gostou? Compartilhe com os amigos !!