0

Bactéria Salmonela pode causar três tipos de doenças graves em aves

O assunto doença ainda assusta muitos criadores, não é por menos, pois cuida-se, investe-se e não há nada pior do que ver a criação sofrendo por algo que poderia ter sido evitado. Para isso os plantéis podem contar sempre com o São Camilo Biotecnologia que investe a cada dia na área tecnológica, bem como, em pessoas capacitadas para desenvolverem a excelência do laboratório que conta com mais de 10 anos no mercado.

Para tanto, com a intenção de informar criadores, leitores e seguidores das redes sociais resolvemos falar hoje sobre uma bactéria conhecida há mais de 100 anos, descrita pelo cientista americano Daniel Elmer Salmon, daí deriva o seu nome, estamos falando da Salmonella.

Para contextualizar o leitor vamos fazer um apanhado sobre a Salmonelose, que é um termo utilizado para denominar infecções provocadas por bactérias do gênero Salmonella, estas que pertencem à família Enterobacteriaceae. Tem-se conhecimento de 2500 variedades (sorotipos) desta bactéria, contudo cerca de 80 a 90 sorotipos apresentam importância biológica para saúde de animais e seres humanos, esse fator determina também qual doença que acometerá a ave.

As Salmonellas são bactérias que estão disseminadas no mundo como um todo, habitam o trato intestinal de muitas espécies, incluindo seres humanos, primatas não humanos, aves, equinos, suínos, cães, gatos, rato, dentre outros. O rato, especificamente, desempenha um papel importante na disseminação da doença, isso se deve ao fato dele ser um transportador natural dessas bactérias.

Quanto as aves, essas bactérias podem causar três enfermidades distintas: a Pulorose cujo agente é a Salmonella Pullorum; o Tifo Aviário causado pela Salmonella Gallinarum; e o Paratifo Aviário causado por qualquer outra Salmonella sp. que não seja as acima descritas.

Em torno de 3% dos organismos (homens e/ou animais) que apresentam diarreia por Salmonella, permanecem como fonte de infecção para o meio ambiente, ou seja, podem afetar os plantéis. Em aves, a bactéria pode colonizar o oviduto da fêmea e contaminar o ovo antes da formação da casca levando o embrião à morte.

O ovo pode ser contaminado também logo após a postura, a bactéria pode penetrar os poros do ovo e matar o embrião ou até mesmo levar ao nascimento de filhotes infectados. Estes, por sua vez, já detêm a doença e são responsáveis pela disseminação da doença no plantel causando a mortalidade de inúmeras aves. Outro fator preocupante é que a bactéria pode infectar as gônadas – ovários e testículos – de forma assintomática causando baixa fertilidade ou infertilidade nas aves infectadas.

Para o diagnóstico podem ser realizados exames de cultura de fezes em meios seletivos, no entanto, esse tipo de identificação não tem um resultado rápido, nem é funcional, pois dificulta o transporte do material para a realização de exames. Sendo assim, o método mais prático é a detecção molecular por meio de DNA, ou seja, a Reação em Cadeia da Polimerase, a PCR, oferecido pelo São Camilo Biotecnologia e que necessita somente da coleta de fezes das aves.

Conheça mais sobre o Check-up Preventivo que engloba estas patologias através do link http://bit.ly/checkuppreventivo, entre em contato também pelo telefone (44) 3029-9660.

Importante

A infecção pela bactéria mencionada em seres humanos e animais pode ser assintomática, sendo um risco para tratadores e para os criadores, ou seja, é uma zoonose. Os sintomas mais comuns são apresentados em diarreias agudas, dores abdominais, náusea e febre. Nos casos mais graves, a bactéria pode entrar na corrente sanguínea e levar à morte. Caso haja a cura da doença sem tratamento específico, o portador continua com a mesma bactéria instalada em seu intestino e, em momentos de estresse, podem reapresentar sintomas.

Gostou? Compartilhe com os amigos !!

São Camilo Biotecnologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *